>>>> Leia a fotografia, leia o texto <<<<

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Mau gosto

Que agosto enlouqueça e se esqueça de viver
Como porcos se jogue do penhasco
Não aprenda a voar na queda
Conceda amor
Nos conceda seus dias, agosto

Para que setembro bradando marche
Conquistando semanas do mês passado

Não solte risos, agosto
Não encontrará presteza alguma
Desgostoso de lhe viver estou

Farei de ti apenas inimigo
Trago comigo a aurora
Trago comigo o vento funesto

Que empurrará setembro
Com suas flechas
Seus canhões e seus piratas
Para saquear seus dias
Não me levas mal, agosto

O problema são os sonhos que me trouxe
Que me deixara ansioso
Para que passes
E se torne apenas artista
Esquecida
Ou arte envelhecida

Não te desanimes
Com cautela não te digo adeus
Te digo até logo
Nos anos vindouros
Tu serás somente agosto
Sem o mau gosto meu